Archive for maio \21\UTC 2008

Eu amo a GVT

maio 21, 2008

Ontem, estava redigindo uma primeira versão da minha monografia de conclusão de curso. Lá pelas 14 h, vou fazer uma pesquisa no Google e, pimba! percebo que estou sem conexão com a Internet. Não me preocupei: meu modem é especiamente temperamental e, quando esquenta demais, trava. Basta reiniciá-lo que tudo volta ao normal.

Pois bem, reiniciei o modem, mas não consegui recuperar a conexão. Imaginei que o modem estava tão superaquecido que seria necessário esperar um pouco mais para que ele destravasse – embora os LEDs indicassem perfeito funcionamento.

Fui fazer outras atividades que estavam pendentes fora do computador. Duas ou três horas depois, volto para tentar reconectar. Ligo o modem, reinicio, utilizando poff e pon, o daemon pppd e… não funciona. Nesse momento, apelei e fiz aquilo que todo usuário de Linux considera uma vergonha no currículo: reiniciei o computador… Ok, só os usuários mais pedantes consideram isso uma vergonha, mas o que importa é que mesmo isso não funcionou.

Evidentemente, havia algum problema com a comunicação com o servidor. Fui fazer uns testes. Primeiro, olhei os logs do pppd com o comando plog. Noto que o pppd consegue receber um endereço IP externo, e recebe também os endereços dos servidores DNS da GVT. Tento pingar os servidores DNS mas eles não respondem! Isso tinha cara de problema de autenticação. Para verificar, comentei a linha com meu login e senha no arquivo de autenticação do pppd e reiniciei o pppd novamente. Agora, a saída do plog indicava que não consegui um endereço IP nem o endereço dos servidores DNS por falha na autenticação. Imaginei: “É, o problema não é autenticação… ao menos até esse ponto”.

Joguei a toalha e resolvi ligar para a GVT. Depois de percorrer o caminho padrão, fui atendido por um rapaz. Explico para ele a situação, falo que já reiniciei tanto o modem quanto o computador e até comento que enxergo o endereço dos servidores DNS mas não consigo pingá-los. A primeira surpresa agradável foi que o atendente não pediu para eu reiniciar o computador e o modem de novo! Ele foi verificar se havia algo de errado com minha configuração e… pimba! de novo: minha porta estava bloqueada.

Aí que me toquei: eu havia pago a fatura do mês passado na sexta-feira anterior, com seis dias de atraso. Ocorre que eu não havia recebido a fatura por correio, de modo que tive de buscá-la no site da GVT; entretanto, levei um bom tempo para me tocar que a fatura não havia chegado.

Explico-lhe a minha situação. Ele me transfere, então para o departamento de cobranças. Sem precisar esperar mais que meio minuto, sou atendido por uma simpática moça. Explico novamente a situação, ao que ela vai verificar o estado da minha conta. De fato, consta como não paga, e a moça me explica que há o prazo de 72 horas para que o pagamento conste nos servidores. Apesar de ser uma situação chata, concordo que é bem natural…

Aceito, então, a triste sina de esperar até a segunda-feira para ter minha conexão de volta… A atendente, porém, diz que pode solicitar a abertura de minha porta no mesmo momento. Oras, que ótimo! Ela solicita o serviço e diz que, em duas horas, no máximo, eu estaria com minha conexão restaurada. Peço para ela verificar o valor da última fatura, pois eu temia ter pago a fatura errada… mas felizmente paguei a correta.

Por fim, a atendente pede para eu responder uma pesquisa sobre o atendimento. Eu não poderia negar isso a ela, afinal, e lá vou eu, feliz, responder a questão. Naturalmente, disse estar plenamente satisfeito. De qualquer forma, fui lavar umas roupas, para esperar o tempo passar e, na volta, a conexão estava perfeita!

Encontrei alguns bugs no processo. Por exemplo, tive de digitar meu número de telefone no começo, por solicitação do software, pois estava falando pelo celular; entretanto, os dois atendentes me pediram meu número. Entretanto, esses são detalhes insignificantes.

A GVT nunca me causou dores de cabeça. Nunca me trataram como um criminoso por usar Linux – muito pelo contrário, seus manuais já prevêem o uso de Linux. No final de 2007, me ligaram para me fazer uma oferta que pode ser resumida assim:

Notamos que você usa pouco telefone e muita conexão. Nós podemos reduzir sua franquia e quadruplicar sua velocidade de conexão, mas você terá de pagar R$ 5,00 a menos.

Agora, pela primeira vez, precisei de seu atendimento – por um problema que, no fundo, eu mesmo causei – e fui perfeitamente atendido. Por tudo isso, aí vai o meu conselho: se você não usa os serviços da GVT acesse o www.gvt.com.br e contrate-os agora. Talvez você passe pelo único problema sério da GVT, que é a cobertura mais ou menos limitada e as longas filas de espera. Eu garanto: esse problema, vale a pena suportar.

Anúncios

Anúncio

maio 20, 2008

Olá!

Pois é, Suspensão de Descrença é meu novo blog. Esse é um blog menos pessoal, mais técnico, em que falo muito mais de programação, computação e tecnologia da informação.

Ah, sim, você não me conhece? Prazer, meu nome é Adam Victor Nazareth Brandizzi. Seja bem vindo!

Só mais uma dica: dêem uma olhada na página sobre o blog.

Até mais!


%d blogueiros gostam disto: